domingo, 4 de julho de 2010

A MENINA E A LUA


Em noites frias
Veste-se de anjo
Lança o ceu olhar
Para o céu
Na tentativa
De aquecer a lua
-Quisera eu ser
Um raio de sol
Para te aquecer
Baixinho sussura
Pobre menina
Sem saber
Que tão distante
A lua não avè
E sozinha,como a lua
No relento de sonhos
Vivem as duas

ManyPallo

Um comentário:

Barthes disse...

Uma poesia ao relento,lúdica e melancólica em sua lírica inocência.Bjosss...ManyPallo.